Seminário Propedêutico:  Período de iniciação e preparação para aqueles que já concluíram o ensino médio; (2 anos)

O que é o SEMINÁRIO PROPEDÊUTICO?

Esse período é “tempo de preparação humana, cristã, intelectual e espiritual para os candidatos ao seminário maior” (Pastores Dabo Vobis, nº 62), organizado como instituição autônoma, distinta e articulada com as outras etapas da formação […].

Entre os elementos principais constitutivos da programação do propedêutico, destacam-se:

1. Na dimensão humano-afetiva: prioridade ao amadurecimento da personalidade do vocacionado; aprofundamento do discernimento vocacional; aprimoramento da formação humano-afetiva; centralização e atenção especial à pessoa do formando, através de acompanhamento personalizado, psicoterapia, dinâmicas de grupo; promoção do conhecimento de si mesmo, das qualidades, defeitos e limites; orientação sobre a sexualidade masculina e feminina; formação da consciência e do caráter; equilíbrio no relacionamento interpessoal.

2. Na dimensão comunitária: iniciação e aprofundamento da vida comunitária; superação das tendências ao isolamento e individualismo; formação para práticas de acolhida, abertura, partilha e solidariedade; experiências de convivência e trabalho em grupo; superação de apegos pessoais em vista da inserção na comunidade; reconhecimento das qualidades alheias; seriedade nos compromissos assumidos com a comunidade e com os outros.

3. Na dimensão espiritual: aprofundamento da experiência de Deus e de amizade com Jesus Cristo, através da consciência da vocação batismal, da celebração diária da Eucaristia, da leitura orante da Palavra de Deus, das celebrações da Palavra, de métodos de oração e de exercícios espirituais; da confissão frequente e direção espiritual, da devoção mariana e oração do terço; valorização das experiências de fé vividas anteriormente; participação em acontecimentos importantes em nível de Igreja e de congregação religiosa; noções de liturgia e espiritualidade; introdução ao mistério de Cristo e da Igreja, através do estudo do Catecismo da Igreja Católica.

4. Na dimensão intelectual: complementação da formação intelectual (humanística e científica) do ensino médio; introdução ao ensino da filosofia; metodologia de estudo, leitura e aprendizagem; aperfeiçoamento da língua vernácula; aperfeiçoamento de uma língua estrangeira moderna; noções básicas de ciências sociais, história, geografia e política, cultura brasileira, economia; administração paroquial como serviço da dimensão pastoral-missionária; formação da consciência crítica da realidade; música, artes sacras, cultura popular e teatro.

5. Na dimensão pastoral-missionária: iniciação à compreensão da Igreja e do ministério presbiteral; preparação para a vida eclesial, na abertura para a vida missionária, tendo presente alguns meios: observação da caminhada pastoral de uma comunidade; atuação na comunidade eclesial; conhecimento da pastoral orgânica da Igreja local; especial atenção ao desafio da pastoral urbana; experiência em situações-limite que vive o povo; visitas a presídios, asilos, orfanatos, casas de recuperação de drogados; partilhas de experiências; atenção especial a temáticas que envolvem fortemente a humanidade toda, como direitos humanos e aquecimento global.
Fonte: CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL. Diretrizes para a Formação dos Presbíteros da Igreja no Brasil. Brasília: CNBB, 2010. (Coleção Documentos da CNBB, nº. 93). pp. 67-69).


Seminário de Filosofia: Tem como objetivo ajudar o seminarista a compreender sua resposta a partir da verdade sobre Deus e sobre o homem, visando a interpretação da própria existência. Nesta etapa o seminarista cursa a faculdade de Filosofia pela PUC-PR Campus Maringá.(4 anos)

Qual o sentido da etapa de FILOSOFIA?

A formação filosófica é um dos elementos constitutivos da formação presbiteral, quer para a adequada interpretação do ser humano e do mundo, da história e da sociedade, do pensamento humano e das correntes culturais e religiosas do nosso tempo, quer como suporte para o diálogo com o mundo contemporâneo, quer para a descoberta da dimensão transcendental da existência. Segue, portanto, que os institutos de filosofia, além de centros de estudos, voltados primordialmente para a atividade intelectual, são também, e por excelência, ambientes de formação vocacional e presbiteral. Nos estudos filosóficos, dê-se importância especial a Santo Tomás de Aquino, cuja “doutrina é o instrumento mais eficaz, não só para fundamentar solidamente a fé, mas também para colher com utilidade e segurança os frutos do são progresso”.

Fonte: CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL. Diretrizes para a Formação dos Presbíteros da Igreja no Brasil. Brasília: CNBB, 2010. (Coleção Documentos da CNBB, nº. 93). p. 84.


Seminário de Teologia: Tem como objetivo focar o estudo sobre Deus, entendendo um pouco de quem é Deus e buscando interpretar alguns dos mistérios contidos na Sua palavra. Nesta etapa o seminarista cursa a faculdade de Teologia pela PUC-PR Campus Londrina.(4 anos)

Qual o sentido da etapa de TEOLOGIA?

As disciplinas teológicas devem ser ensinadas à luz da fé e sob a direção do Magistério da Igreja de modo que os estudantes possam acuradamente haurir da Revelação divina a doutrina católica, nela penetrar profundamente, torná-la alimento da própria vida espiritual, anunciá-la, expô-la e defendê-la no ministério sacerdotal.

Fonte: Decreto Optatam Totius sobre a Formação Sacerdotal, nº. 16.

A Igreja olha com carinho e empenho para os cursos de teologia e manifesta seus anseios e esperanças a propósito deles. No contexto de uma Igreja que quer conferir novo vigor à sua dimensão constitutiva de discípula e missionária, os centros de formação teológica revestem-se de importância vital. Sem os mesmos, bem estruturados e qualificados, não é possível oferecer aos futuros presbíteros condições adequadas para uma reta compreensão da revelação, da fé e da missão da Igreja […].

Cabe aos institutos de teologia zelar para que a formação teológica conserve todos aqueles eixos unificadores centrais queridos e propostos pela Igreja.

O estudo da teologia busca desenvolver uma consciência aprofundada dos mistérios da fé cristã, que seja capaz de orientar a vida e o agir do presbítero. O atual contexto eclesial e religioso é eminentemente plural, mostrando que há diferentes formas de compreensão e vivência do Evangelho e da relação com Deus […].

Fonte: CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL. Diretrizes para a Formação dos Presbíteros da Igreja no Brasil. Brasília: CNBB, 2010. (Coleção Documentos da CNBB, nº. 93). pp. 86-87).


Ano de Pastoral: Período em que o seminarista reside em uma paróquia ajudando no andamento pastoral-administrativo, para se preparar melhor para o trabalho como padre. Ao termino desse ano o seminarista é ordenado diácono de depois de mais um período de residência paroquial, é ordenado padre.


Adaptado de: Diretrizes para Formação Presbiteral da Arquidiocese de Londrina