Catorzinho

Catorzinho

Em preparação ao 14° intereclesial das CEBs, a Arquidiocese de Londrina realizou nos dias 15 e 16 de julho o “Catorzinho” que contou com participantes de vários lugares do Brasil, e debateu sobre vários assuntos sobre a evangelização no ambiente urbano.
O encontro começou com uma celebração bem alegre e dinâmica com os participantes, animada com vários cânticos e o tradicional “trem da cebs”. Tivemos ainda duas falas, a primeira com José Damasceno que falou dos desafios da conjuntura atual, e do assessor nacional das CEBs, Celso Pinto Carias que falou das CEBs e os desafios no mundo urbano.
A tarde os participantes se dividiram em cinco plenárias que debateram os seguintes temas: Mobilidade urbana, Ecologia e cuidado ambiental, Pluralismo: Ecumenismo e Diálogo inter-religioso, Movimentos sociais, Violência e Segurança pública.
A respeito das plenarias, Renato da Diocese de Cornélio procópio ressaltou “que cada grupo desenvolveu bem os temas que foram trabalhados”. O encontro no sábado terminou com a Santa Missa no aterro do Lago igapó, presidida por Dom Geremias e concelebrada por Dom Manuel juntamente com outros Padres e Diáconos.
No dia seguinte os relatores apresentaram as sínteses das plenárias, focando nos pontos principais de cada tema debatido, e os participantes também na chamada “fila do povo” puderam dar o seu ponto de vista sobre a síntese feita, sendo assim, um momento de grande partilha e enriquecimento para todos.
Logo após tivemos a fala de Dom Manuel que destacou que devemos seguir a “Teologia da Misericórdia” e a do Padre Dirceu Fumagali que apresentou a programação do 14° intereclesial.
Na parte da tarde os participantes foram divididos em plenárias para avaliar o encontro. O Catorzinho foi encerrado com uma celebração na qual as equipes de serviço foram ungidas e também a entrega dos ícones da cruz e de Nossa Senhora do Rocio a Paróquia Nossa Senhora das Graças de Centenário do Sul. Jesus da Cidade de Sertaneja ressaltou que “o Encontro foi Maravilhoso e é um momento em que a gente vem e aprende para levar as paróquias”.

Texto: Marcelo Aparecido dos Santos

fotos: Gustavo Henrique dos Santos

Deixe uma resposta